O sitio de qualquer tipo de fanfictions.
 
InícioPortalFAQBuscarRegistrar-seMembrosGruposConectar-se

Compartilhe | 
 

 O Fim de um "Felizes para sempre"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Srt Lunna



Feminino Número de Mensagens : 2
Idade : 21
Data de inscrição : 09/10/2009

MensagemAssunto: O Fim de um "Felizes para sempre"   Sex Out 09, 2009 2:01 am

Ela gostava da imagem que via. É uma das primeiras vezes conseguia admirar sua imagem. Esse dia seria perfeito. Mas mesmo com todo o pensamento positivo, o nervosismo a consumia. Ela continua se olhando inquieta no espelho procurando algum defeito em si mesma, afinal hoje seria o centro das atenções.
- Calma Daniela! Tudo vai dar certo, não tem por que ficar nervosa.
- Ah, eu sei, mas eu estou com um péssimo pressentimento.
- É nervosismo de noiva, é completamente normal.
- E a Júlia? Quem vai entrar com ela no altar?
- Pode ser eu, ou a madrinha do Nick.
- Vai você mesmo! Voce sabe que eu não gosto da Anabelle!
- Só você mesmo hein... Voce e o Nick, já não resolveram tudo? – Ana Flávia, disse rindo.
- Eu e o Nick siim... mas eu ainda odeio a Anabelle. Ela quase acabou comigo e o Nick... ela fez o Nick desconfiar de mim. Mas eu não quero falar disso hoje... e nem nunca mais... quero esquecer o passado... e viver o meu futuro,ao lado do amor da minha vida. Mas vamos logo, caso contrário, vou me atrasar.
- Daniela?
- Fala.
- A noiva tem que chegar atrasada
- Isso é um absurdo! Chegar de propósito, essas noivas de hoje em dia não tem vergonha na cara não? – disse ela inconformada.
- Dani, é assim desde sempre.
- Ta bom, ta bom, vai logo que eu vou estar aqui.
- Ta, beijos, te vejo lá no altar. – Ana Flávia saiu e fechou a porta.
Ela voltou a se olhar no espelho, arrumando seu véu.
- É... então é isso...
De repente a porta abriu, mas sem ela perceber.
- Ora, ora, o que temos aqui? Você finalmente conseguiu o que sempre quis não é? Um casamento perfeito, com o cara perfeito, com a filha perfeita. Mas sei que você não é digna de tanta perfeição.
- O que você está fazendo aqui? – ela se virou e deu de cara com a ultima pessoa que gostaria de ver nesse momento.
- Você logo saberá. Mesmo você não sendo digna, você conseguiu tudo o que eu queria.Mas como? Eu sou mais bonita, mais inteligente, popular, privilegiada, desejada... enfim, mas por que logo você conseguiu tudo aquilo que eu mais prezava conquistar?
- Diga logo, o que você pretende Anabelle e vá embora.
- Que pena, não gosta da minha presença?
- É óbvio que não, prefiro estar no inferno do que está com você ao meu lado.
- Pois é, algum dia nos encontraremos lá.
- Do que está falando?
- É o meu presente para o seu casamento, pra demonstrar o quanto eu estou “feliz” pelo os noivos.
Daniela a encarava com pavor, mas não queria demonstrar esse sentimento, queria se mostrar mais forte. Embora, suspeitasse o que poderia acontecer. Mas sem conseguir manter a imagem de corajosa, o pânico tomou conta de seu rosto ao vê-la colocar a mão dentro de sua bolsa.
- Ah querida Daniela, pela a expressão de seu rosto, vejo que você já descobriu o que eu vim fazer aqui. – ela já apontava a arma em sua direção.
- Isso é tudo por que? Ciúmes, inveja, raiva... o Nick?
- Creio que todas essas alternativas estavam certas, principalmente seu querido Nick. – ela
Mais uma vez a porta se abre mais as duas percebem.
- Amor, eu sei que não posso ver a noiva antes do casamento,mas... – Nick entra na sala, e percebe a presença, de alguém que não deveria estar lá – Anabelle? – ele disse sem perceber o que estava acontecendo.
- Ah, veja quem apareceu! O príncipe encantado eu diria... que veio salvar a bela dama. – ela riu debochada.
- Ana... – Nick, percebeu que ela estava armada, e pior ainda, ele percebeu para quem ela apontava a arma. – Eu sei a que você está prestes a fazer... por favor, não faça! – ele pediu.
- O que irá me impedir?
- Eu! – ele falou
- Então é mesmo como eu pensei! O príncipe encantado, realmente veio te salvar! – ela se referiu a Daniela, sorrindo falsamente – Muito corajoso esse seu príncipe não é? Ou eu diria... muito tolo?
- Anabelle abaixe essa arma! – Nick pediu
- Por que? – ela falou – Ela não merece o que tem, eu mereço o que ela tem!!!
- ABAIXE ESSA ARMA – ele pediu desesperado.
- Ow, ow, ow, se eu fosse você eu não me aproximava hein? Ou será você ao invés da bela dama. – ela riu.
- Exato, me mate ao invés dela – ele disse
- Não Nick... – Daniela chorava. Ela não se conformava com o que estava acontecendo, a final, esse deveria ser o melhor dia de sua vida, depois do nascimento, de Júlia, sua filha.
- Isso já está ficando interessante... Então faremos o seguinte... Nick, case-se comigo, e eu a deixo ir, mais a sua filha ficará conosco, e a florista tem que sumir pra sempre, e vocês NUNCA mais irão se ver.
- É a mesma coDani que a morte, só que bem pior – Dani disse por fim – Prefiro a morte!
- Já que diz isso – ela arrumou o dedo para puxar o gatilho
- CALADA DANIELA! EU NÃO POSSO VIVER SABENDO QUE ELA TE MATOU! – ele disse alto – Eu aceito Anabelle, mas deixe a Júlia ficar com ela. – ele disse.
- Eu já dei minha proposta, ela não irá mudar. – Anabelle dizia despreocupada.
- Daniela... me desculpe, mas...
- Não Nick! – ela insistia.
- Não tem outro jeito – ele disse
- TEM SIM! EU MORRER! – ela falou
- Será que você não percebe querida Dani? Seu Nick, não quer você... ele nunca quis... ele só não quer que você morra para não ficar com peso na consciência...
- Isso... é mentira... eu sei que é! – ela disse com lágrimas nos olhos – Caso contrário... por que ele se casaria comigo? – ela perguntou
- Por dever. Ele teve uma filha com você, é dever dele se casar com você, e fingir uma família feliz.
Seus olhos se inundavam de lágrimas, que caiam e rolavam pelo seu rosto, borrando toda a maquiagem, mais isso não importava ali. Mas... ela não chorava pelo fato, dela dizer aquelas coDanis horrorosas. E sim, pelo fato de Nick ficar calado todo o tempo, sem desmentir tudo aquilo que Anabelle dizia. Apenas ouvia tudo de cabeça baixa.
- Nick? – ele levantou o rosto – Nick... me diz... isso tudo é verdade? – não podia ser... ele a amava... não é?
- É.
- Viu? Tudo uma mentira – Anabelle andava de vagar de um lado para o outro, sem parar de mirar a arma para a Daniela.
- NÃO VOCÊ ESTÁ BRINCANDO NÉ? ISSO É UMA BRINCADEIRA? É UMA BRINCADEIRA DE MAU GOSTO? POR FAVOR DIZ QUE É!
- Não é Daniela! – ele disse
- Para de mentir pra mim!
- Não estou mentindo
- ESTÁ SIM! ME DIZ A VERDADE!
- O QUE VOCÊ QUER? OUVIR A VERDADE, OU AS CODANIS QUE VOCÊ QUER OUVIR?
- EU SEI QUE OS DOIS SÃO A MESMA CODANI! DIZ QUE ME AMA POR FAVOR! – ela pedia. O que Daniela estava sentindo, era uma coDani muito pior que o pânico, a dor física... e pra ela, até pior do que a morte. Ela preferia mil vezes morrer sendo amada, a não morrer, amando uma pessoa, que nunca a amou de verdade.
- Não – Nick, dizia isso, percebendo, o quando ela estava sofrendo. Doía nele ter que dizer isso.
- Isso está muito melhor do que eu pensei que pudesse estar! Além de te matar, ainda estou te vendo ser arruinada, pouco a pouco, acabando de vez com cada esperança, e sentimento que te resta. – ela ria.
Ela chorava cada vez mais, e de repente começou a andar em direção à Anabelle, que continuava apontando a arma pra ela.
- Daniela o que você vai fazer? – Nick perguntava
Mais ela não respondia, e continuava a andar de vagar até Anabelle.
- É Daniela... Ouça seu ex-marido... Eu posso te machucar.
- Eu não me importo – ela falou
- É Nick... Que diferença faz ela morrer? Você não a ama!
- Mas... – ele foi interrompido
- MAS NADA! EU CANSEI, EU NÃO ME IMPORTO MAIS COM NADA! VOCÊ ESTÁ TENTANDO ME IMPEDIR SÓ PELO PESO NA CONSIÊNCIA... QUE EU QUERO QUE VOCÊ SINTA! - Daniela
- Você não sabe o que está falando – Nick
- SEI MUITO BEM!
- Não sabe – ele insistiu
- Eu sei, e eu também sei, o que vem a seguir – ela encarou a arma de Anabelle.
- Não ouse fazer isso – ele falou sério
- OUSO ! QUE DIFERENÇA TEM PRA VOCÊ?
- ...
- VIU? Você é apenas um idiota,que só liga pra si próprio. E o pior, é que eu te amo! Eu sei que você não merece! Como eu posso ser tão burra de te amar assim?? COMO???
- Daniela...
- NÃO FALA MEU NOME, EU TE ODEIO, ODEIO TER TIDO UMA FILHA COM VOCÊ, EU QUERIA QUE TIVESSE SIDO QUALQUER OUTRO CARA, ODEIO QUE VOCÊ NÃO ME AME, ODEIO TE AMAR. ODEIO! EU PREFIRO QUALQUER OUTRO À VOCÊ!
- ENTÃO ÓTIMO, ME ODEIE, SE MATE! NÃO FAZ DIFERENÇA!
[PAUSA]
Essas palavras, mudaram tudo. Dizem que 1 segundo, pode mudar o destino. Também que tudo o que você faz pode interferir o destino de qualquer pessoa, se isso estava ou não escrito no destino de Daniela nós não temos como saber. O que está feito, está feito. Mas apenas aquelas palavras, mudaram, o destino de muitos.
[Vamos continuar rodando a cena]
Daniela em um gesto rápido, tentou arrancar a arma de Anabelle.
Essa mesma, se assustou, e fez a arma disparar.
O que poderia se comparar a dor que Daniela sentia? Ahh sim... é como se estivessem te queimando lentamente, pouco a pouco, era insuportável, mas nada pior do que saber que quem você ama, não sente o mesmo por você.
- O QUE VOCÊ FEZ? – Nick, foi para o lado de Daniela, que caiu no chão. Ele se ajoelhou do lado dela, e não demorou, para, seu paletó se encher se sangue, pois uma poça se formava em volta dela.
- Deixa ela aí! Você não disse que ela não era importante?
- Acho que você não conhece o sentido da palavra mentira não é? – ele se virou de volto para Daniela – Você ta bem?? - ele perguntou sem obter resposta - DANIELA , ME RESPONDE, POR FAVOR!
- Humm... me deixa dormir Nick... ta doendo... – ela colocou a mão em seu machucado.
- Eu sei, mas, por favor, não feche os olhos – ele pediu.
- O que pode acontecer de mais se eu fechar meus olhos? – Sua voz estava ficando cada fez mais fraca, as palavras saiam em sussurros, e o silêncio tomava conta do lugar.
- Você pode dormir... pra sempre
- Você mesmo... Disse que não faz diferença se eu morrer... se você... não me ama... eu não tenho por que viver...
- A nossa filha! – ele disse
- Promete que cuida da Júlia?
- Sim, prometo – ele falou, e pegou a mão dela, a apertando com força, como se isso fizesse, ela ficar ali com ele pra sempre, como se ele estivesse a prendendo à ele.
- E... eu te amo Nick, eu posso odiar que você não me ame... eu SEI que você não me ama... eu sei... – umas lágrimas escorregavam pelo rosto dela, que ficava cada vez mais pálido e sem vida – mas eu te amo... e eu não queria ter tido essa filha com mais ninguém... e... não esquece... eu te amo...
- Daniela... me perdoa... Eu também te amo... muito. – Ele deu um ultimo beijo nela, e nesse momento, ele sentiu todo o corpo dela perder a força, seus olhos se fecharam por completo, e a mão dela caiu sobre a sua mão, como se fosse um objeto que parecia porcelana, pois de repente ficou gelado, sem vida... – DANIELA, ESPERA... ESPERA – ele apertava a mão dela com mais força, lágrimas teimavam a cair, e mesmo ele, que sempre dizia que homens não choram estava quebrando essa regra. – POR FAVOR! Eu... eu te amo ... me desculpa. A culpa é toda minha...
- Daniela você já ta pronta? Ta na hora de ent... - um grito ecoou na sala - O HOUVE AQUI? DANIELA?? – Era Ana Flávia que estava acompanhada de Joe e Kevin. – O QUE HOUVE COM ELA?? ELA SÓ ESTÁ DORMINDO NÃO É? – ela perguntou desesperada
Anabelle, continuava parada, com a arma na mão sem saber como reagir,mas quando pensou em fugir, foi segurada por Joe,que a fez soltar a arma.
- O que está havendo aqui? Eu ouvi gritos... – o pai de Nick entrou no quarto – Não pode ser.... – ele pôs a mão na boca – Daniela? Ela está...? – ele percebeu que Nick, segurava a mão dela, ainda, com força, achando que ela tinha vida. – Venha, meu bem – Ele chamou Ana Flávia – Vamos deixar o Nick aqui.
Ele se retirou junto com Ana Flávia, Joe e Kevin, que levavam Anabelle.
- Daniela... por que hein? De todas as vezes que eu disse que te amava... você só vai acreditar na única vez que eu disse que era mentira? Por que você não podia esperar um pouco. Agora... você está ai... eu não sei aonde, mas acreditando em uma mentira. Eu te amo Daniela.
Ele beijou sua testa. Para quase qualquer pessoa, poderia ser um simples cadáver, mas pra ele era mais do que isso. Ele a observou mais um pouco, ele temia ter uma imagem, morta dela, mas pelo contrário, ela parecia estar dormindo, serena, em um sonho bom, agora ela estava em um paraíso.
Ele se levantou, e abriu a porta.
Depois que ele saiu de lá,muitos pessoas, entraram correndo na quarto, chorando, e ficaram olhando pra ele, que deixava apenas umas lágrimas escorrerem.
Ele sorriu e disse :
- Gente, a Daniela está dormindo... Façam silêncio, eu não quero que vocês acordem ela, olhem... ela está sonhando. – ele virou as costas e saiu de lá.
Para aquelas pessoas, o Nick estava louco, mas não. Ele estava mais certo que qualquer um, por que ele via a vida dela, não em seu corpo morto, mais sim, em sua expressão.

EPILOGO:

9 anos se passaram.

Era já tarde, podia se observar o crepúsculo brilhar no céu, aquela tarde estava linda. Um rapaz de uns trinta e poucos anos, com uma rosa vermelha em suas mãos, vagava sozinho pelas ruas da cidade. Ele entrou em um cemitério, e se sentou ao lado de um túmulo.
- Oi meu amor como vai você? Que bom... estou com saudades. Sabe as coDanis mudaram muito desde que você se foi. As pessoas mudaram, eu mudei... mas meu amor continua o mesmo. Nossa, você não tem idéia de como a Júlia está parecida com você! Está linda... ela tem os seus olhos... seu sorriso... mas ainda acho que ela parece mais comigo. Ok, tudo bem, você venceu, ela é a sua cara. As pessoas podem me achar maluco, e achar que eu estou falando sozinho. Mas eu estou falando com você. E você me responde. E responde só pra mim. – ele sorriu, e passou a mão por cima de sua lápide como se estivesse acariciando o rosto dela – É ... eu ainda me lembro do que aconteceu como se fosse ontem. Por que eu fui dizer aquilo? Me perdoa? – uma lágrima desceu pelo seu rosto, e caiu sobre a rosa que ele segurava. – Eu queria que você soubesse que eu te amo. Eu prometo que a gente ainda se encontra. Eu te amo... eu tenho que ir... Ah, antes que eu me esqueça – ele colocou a rosa em cima de seu túmulo – Eu sei que são suas favoritas. Foram as primeiras flores que eu te dei, lembra !? Tchau meu amor, eu volto depois.
Ele se levantou, e foi embora,
Não ele realmente não estava maluco. Ele apenas se sentia mais próximo dela, quando conversava com ela.
Eles nunca se separam, e quando todos pensaram que era o fim, para eles era o começo, aonde eles iriam ficar para sempre,
No fim da eternidade...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
O Fim de um "Felizes para sempre"
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
The Fanfiction Forum :: Fan Fictions :: FanFics Originais-
Ir para: